quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

quase inutil

Os degraus da vida me tem mostrado diariamente os sabores e desabores de ter o dia inteiro para fazer tudo e ser feliz, mas, o que deveria um homem fazer com sua vida? A cada minuto, o homem e a vida mergulham mais na escuridão. Os valores hoje são outros. Inútil pensar ainda em transformar as coisas, porque o próprio homem fez-se mestre da vida e quer objetivar, analizar, calcular e manipular tudo, e, desta forma, reduz todas as coisas a objetos mortos. Porque é que o homem se deixa enlouquecer? Porque há ultrajes inaceitáveis, que para sempre nos destroem o equilíbrio.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

ganhei

Foto: World press
você é do tamanho de seus sonhos!

------------------------------------------------------------------------------------

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

quer apostar?

um pequeno "sim" pode quebrar aquela verdade que carregamos com apego e nos libertar das expectativas rígidas em relação ao mundo.

dizer "sim" para a vida que está acontecendo ao redor em vez de simplesmente esperar é melhor que estar parado esperando que algo mais aconteca".

haa, para não esqueçer, neste ano vou jogar fora tudo que não me diz sim. e pra finalizar, agora posso dizer:FODA-SE!

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

2009


nas horas primeiras de um ano novo que se apresenta, nenhum, nem(um) tufão poderá apagar meus desejos. isso não, pode apostar. contudo mil ventos poderão animar-me pra novas instâncias, como sempre e nessa eternidade da minha vida curtíssima. estarei aceso nas madrugadas, velando o sono das minhas vontades e dormirei durante os dias para que ela me nine. quantas canções antigas cantarei para as saudades mortas e quantas baladas escreverei para as recém nascidas. eu, que me perco nas palavras desse texto-devaneio, divagações vespertinas no início desta tarde de verão, que esparrama-se a beira de um estuário cinzento acima das torres e dos campanários, aqui e ali no topo de muitas virtudes e alguns pecados suaves.

a arte de dizer não.

Eu gosto de infâmia. Por isso sem meias verdades aqui. Tenha a bondade!