domingo, 26 de julho de 2009

intervalo


sim.tenho escrito muito menos do que pensado, tenho pensado muito mais do que falado, tenho falado muito menos que o razoável, mas qual é a medida do razoável? sei lá, eu só sei que estou andando muito mais do que parado, estou exilando-me de tudo que acho errado, tentando me exonerar de tudo que é chato, porque tudo que é chato tem limite.




quinta-feira, 2 de julho de 2009

o que você não falou

o que você não falou:
o meu mundo e tão bom, tão limpo, tão sujo e tão honesto quanto o seu.
que uma decisão unilateral sobre investigações sujas e covardes pode ferir gravemente um companheiro de batalha.
que mentiras alheias não são verdades e que toda verdade não tem três verdades como gostaria.
que tudo tem limites, até amizades sinceras.
que aceitar e conviver com diferenças fortalece e nos faz descobrir universos diferentes.
que erramos todos quando deixamos tudo ao acaso.
que erramos todos quando acreditamos apenas no que queremos, vêmos ou sentimos.
que assumir erros e uma prova de honestidade e perdoar e uma prova de bondade.
que algo sempre nos falta, o que chamamos de Deus, o que chamamos de amor, saúde, dinheiro, esperança ou paz. sentir sede, faz parte. e atormenta.
que a vida é tecelã imprevisível, e ponto dado aqui vez enquando só vai ser arrematado lá na frente.
que ninguém e tão importante assim, somos todos substituíveis.
e que você engana-se, não existe tanta santidade assim no universo, duvida disso? olha no espelho.

por agnaldo ribeiro

simples, quando se vê

Foto: Nuno PiresmUdanÇas sãO NeCesSARias PaRa a EVOLUÇãO.

a arte de dizer não.

Eu gosto de infâmia. Por isso sem meias verdades aqui. Tenha a bondade!