sexta-feira, 28 de agosto de 2009

no calabouço da memória

Imagem: internet
dos teus movimentos nada afirmo, pois deles nada sei
apenas pressinto um gigantesco giro.
o teu nome não me foi revelado.
do teu rosto antigo só me restou uma sombra suja, rascunhada, que guardo no fundo de uma gaveta de papéis, localizada no calabouço da minha memória.ouço notícias do seu esplendor. dizem que perambulas por ai, seguido por um séquito. não sei e tampouco tenho notícias do teu paradeiro.
sei apenas por adivinhação, que e imensa a saudade.

retina

Foto: Agnaldo Ribeiro
No profundo silêncio de uma tarde cinzenta e bela avanço passo a passo e arrisco a minha vida para comprar jornal na esquina...

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

aqui onde a vida e sonho

imagem: internet
no tribunal das causas realmente pequenas, no terceiro degrau de uma tarde qualquer, tento entender a minha ineficácia perante ao breu temporário que a vida proporciona. mas tudo isto nada mais e que uma extensão de tempo, onde se pesquisa a vida. e, a vida, uma entidade tão frágil e generosa com essa multidão de coisas em movimento.mas não vou me enganar, aqui neste tribunal das causas realmente pequenas, qualquer gesto mais brusco, qualquer palavra mal pensada pode resultar num choque. então, ficarei atento.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

sou o todo, eu sei. as partes são o que não sou.

A LIBERDADE É AZUL
Por que não tenho medo de Deus? Por que não tenho medo do destino? Por que não tenho medo dos excessos? Por que não tenho medo da violência urbana? Por que não tenho medo do desperdício de tempo? Por que não tenho medo que o tempo passe e que as vontades fiquem? Por que não tenho medo das conseqüências?
Por que diabos tenho medo de tanta coisa, então?

A IGUALDADE É BRANCA
Por que não gosto de pretensão? Por que não gosto de competir? Por que não gosto de derrotar? Por que não gosto de vencer? Por que não gosto de massificação? Por que não gosto da idéia de existir celas insalubres e presos conformados? Por que não gosto de milionários? Por que não gosto de ambição? Por que não gosto de robôs humanos? Por que não gosto de discriminação?
Por que tolero tudo isso, então?

A FRATERNIDADE É VERMELHA
Por que celebro sonhos coletivos, estes que envelheceram? Por que celebro cooperativas e assentamentos? Por que dou esmolas somente para velhinhos? Por que celebro o Estado Forte e lamento o jeitinho brasileiro? Por que cachorros passando fome me cortam o coração? Por que há tantas formas de sentir útil para a sociedade? Por que não acredito no Brasil das ONGs? Por que a democracia burguesa não me ilude mais? Porque não consigo parar de pensar em você?Por que preciso de uma nova invenção?
E aí? Então, por que sou um indíviduo? Por que não celebro a solidão?

terça-feira, 4 de agosto de 2009

parei pra descansar e aí começou um ano novo



eu estava sentado em cima da janela quando te vi pela primeira vez.
foi amor à primeira vista.

a arte de dizer não.

Eu gosto de infâmia. Por isso sem meias verdades aqui. Tenha a bondade!