domingo, 24 de outubro de 2010

aah, a santidade!!


você e o meu apocalipse particular.
**
**

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

um delicado acontecimento

A espera, o azul, o branco, o sono,
o sagrado,
o profano,
o divino entendimento entre humanos,
o erro de aprender, a imperfeição do ser.

A vendedora de flores que constrói um mistério,
o segrel a deriva,
o abismo que o espera.

A satisfação da tua (in)existência.
o toque adormecido da morfina
o cansaço na vastidão dos umbrais,
o sono rancoroso dos mortais.

A impiedade da lâmina,
o estalo da cápsula,
o dilaceramento da bala,
o fenecimento das falácias

Uma alma que se cala.


**

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

acorda José

Acorda José. Já é quase meio-dia e você ainda ferrado no sono. Não percebe que o mundo inteiro já despertou, enquanto você, oh você, continua ressonando, nos braços de Morfeu? Que é que te deu? Toma vergonha, José. Acorda, lava o rosto, escova os dentes, toma o ovomaltine, sai pro dia, toma jeito, José! Vê se faz alguma coisa útil, em vez de ficar aê escrevendo bobagem. Olha o exemplo da policial Atanasov, do William Bonner, da mulher que vende pastel, ô José. Tá todo mundo trabalhando, em prol da sociedade. É gente carpindo data, derriçando rua de café, lavando tanque de roupa, pintando guia ao sol do meio-dia, José – e você nada. Deixa de preguiça, homem de Deus. Neosaldine-se!E daí que você tá de férias? E daí que ontem foi o dia da coca-cola sem lei? E daí que o tempo, a morte, o medo, a solidão e o amor? Faz favor!Acorda, José. Deixa de lero-lero, de vem-cá-que-eu-também-quero. Te mexe! E que parangolé é esse de ficar misturando a segunda e a terceira pessoa verbais? Tu é foda! Quer matar a professora? Respeita a língua portuguesa, estrupício!Tá, tá, tá. A gente sabe que você levou pé na bunda da namorada. (Culpa sua, culpa sua.) A gente sabe que você alterna momentos de desespero e trocadilho, mas pô! Cacete! Será o Benedito? Vê o exemplo do Ghandi. Vê o exemplo do Hélio Wacari. Vê o exemplo da Preta. Olha o Joaquim, o Edu Falaschi, a Ana Carolina! Só não vê o exemplo do Bispo Macedo, por favor, que ele é muito feio. Vá te catar, José. Acorda, José. Que mania estúpida de dormir no emprego! Você acha que isso conta pontos a favor da tua imagem? Deixa de viadagem! Fica aê ouvindo jazz canadense e acha que tá ótimo? Já não é noite, é dia! Acorda e sai pro mundo, José. Deixa de ficar circulando de cueca e põe uma roupa. Vai viver a vida. Vai, cara. Vai, que Deus tá vendo isso tudo, ô mané.

a arte de dizer não.

Eu gosto de infâmia. Por isso sem meias verdades aqui. Tenha a bondade!