sábado, 21 de maio de 2011

uma questão de fé

Respeito a sua intenção de manifestar a favor daquilo que gosta. Mas, tenho presenciado chiliques de pessoas que se apresentam como cultas, educadas... Penso, sinceramente conhecendo melhor o tipo, que essa gente não passa de pseudo-intelectuais de bairro com idéias provincianas e Q.i rastejante, Que refinamento é esse? Que cultura é essa, que não respeita o direito alheio? É a cultura do mundo de hoje, a cultura do individualismo. Ou melhor, do egoísmo. E do egocentrismo. Aquilo de que eu gosto passa a ser lei, a minha opinião é a única que vale, eu sou democrático desde que todos concordem comigo e com minhas preferências e vontades.
Tomando emprestadas as palavras de um grande poeta que também tem o cordial nome, Zé, manifesto aqui uma vontade recorrente.
Gosto de gente verdadeira, de gente gentil, que respeita opiniões diferentes, que reconhece valores alheios, que sabe criticar sem ofender. Gosto também de gente capaz de manter o bom humor mesmo diante de situações difíceis, bem como admiro quem permanece sereno em meio a tempestades de problemas ou tumultos, tão comuns na vida. Gosto de gente que sabe escutar e de gente que enxerga os outros! Que reconhece a existência de quem está próximo (ou mesmo distante) e entende o valor de cada um. Gosto, enfim, de gente rara. E gente rara é cada vez mais rara.

(Adaptado do original "Tempo de absoluta depuração" by Zero.)

sexta-feira, 13 de maio de 2011

tudo tem sido cada vez mais calmo aqui na rua dos bobos número zero.

quarta-feira, 11 de maio de 2011


dias assim


Os dias têm sido cada vez mais ensolarados e tranqüilos aqui na Rua dos Bobos, número zero.
Hoje, por exemplo acordei assim:

terça-feira, 10 de maio de 2011


egoista


Você sai à noite, para esquecer o frio, mas tudo que pode presenciar são os vampiros que vagam no lado escuro da sua alma. O seu poema suicídio é uma cruz, de uma fé que morreu antes de Jesus vir.
Você está construindo um mistério.
Você mora em uma igreja onde
você  dorme com bonecos de vodu, e isso faz
Você não deixar de procurar pelos fantasmas nos corredores da ilusão.
Você usa sandálias na neve e um sorriso que não limpará as suas dúvidas.
Você pode olhar pela janela? Sem sua sombra entrando? Não... Tudo que passa pela sua cabeça agora e uma lembrança.
Você está tão bonita, com um extremo charme, mas tão cuidadosa quando eu estou em seus braços. Mas
Você está trabalhando. Construindo um mistério, esperando e esperando, trabalhando e escolhendo tão cuidadosamente... lembro quando
Você acordou gritando em voz alta, em seguida fez uma oração de seu Deus secreto.
Você alimenta fora seus medos e segura suas lágrimas, mesmo depois daquele acesso de raiva. Tudo por um sorriso. Sempre precisamos de alguém quando a noite chega.
Você ainda vai ouvir:
Você é bonita! Uma bela mulher fudida!
Você está montando seu santuário de arame e navalha por que
Você está trabalhando, construindo um mistério cuidadosamente.


a arte de dizer não.

Eu gosto de infâmia. Por isso sem meias verdades aqui. Tenha a bondade!