sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Em silêncio, coloco-me na janela e olho adiante. Longe... e tão perto.
Em silencio quando as cortinas da noite silenciam as pálidas censuras do dia eu faço uma viagem silenciosa até você.



a arte de dizer não.

Eu gosto de infâmia. Por isso sem meias verdades aqui. Tenha a bondade!