domingo, 10 de junho de 2012


Esposas da multidão

A batida dramática do seu coração desaforado impede as festividades intensas da sua imaginação. A sua vida representa uma cultura mórbida entorpecida de sabores ilícitos e distração. A maneira que você muda é tão apelativa...Homens gastam pouco tempo com voce, mulheres querem levá-la à porta e dizer adeus.Voce tenta encontrar um sorriso digno nas raras ocasiões sóbrias entre pausas e silêncios.
Voce tenta ser parte fundamental da experiência humana, tenta com linguagem pobre liderar o caminho na areia movediça... Deitada na dobradiça patética do materialismo, tenta retratar com naturalidade cobiçosa, valores que não conhece. Voce é vacilante, já perdeu todas as chances. Eu sei que no silencio da noite voce observa o fluxo da vida na honesta exatidão que gostaria de experimentá-la, mas o que vê são cenas espetaculares de conflito, discórdia, interação trivial através de diálogos mudos... Assim sendo voce e os seus desejos fatalmente permanecerão separados.



a arte de dizer não.

Eu gosto de infâmia. Por isso sem meias verdades aqui. Tenha a bondade!