sábado, 31 de outubro de 2015

Odeio quem me rouba a solidão sem em troca me oferecer verdadeira companhia.


Nietzsche

Queria me permitir a ser mau eventualmente.
Queria me permitir a não ter piedade com quem, definitivamente, não merece.
Queria me condicionar a colocar Maquiavel na prática, só por alguns momentos.
Queria não ter consideração por quem não tem por mim.
Odeio ser tão cristão assim.
Odeio não ter direito à articular vinganças & revanches.

A cada que dia me decepciono mais com a estupidez humana.
A impassibilidade, o disparate, a controvérsia, os embustes descarados, o dialogo sem provas logicas... O adestramento espiritual que beira o ridículo, coisa de bocó versado por um mico leão de granja.
A cada dia, me sinto como um esqueleto carregando peso.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015



A sociabilidade é opcional. 

Passe seu tempo livre como quiser, não da maneira que outros acham que deve. Fique em casa no ano novo se é o que o deixa feliz. Atravesse a rua para evitar conversar banalidades com conhecidos aleatórios.
Não espere que introvertidos sigam a correnteza, fiquem empolgados com reuniões de pessoas no bar, festas de aniversário, ou viagens a lugares da moda. Apenas respeite a diferença.
Quem quer que você seja, tenha em mente que as aparências enganam. Algumas pessoas agem como extrovertidos, mas o esforço custa-lhes a energia, a autenticidade e até a saúde física. Outros parecem distantes e reclusos, mas suas paisagens interiores são ricas e cheias de atividades.

terça-feira, 20 de outubro de 2015



Que decepção.

Uma decepção cínica, mentirosa e trivial.
Detesto trivialidades. Detesto imbecis que seguem religiosamente o prazer da ignorância dia após dia.
Detesto essa estupidez composta e sistemática, residente num cérebro com q.i rastejante.
Detesto o nível das desculpas oprimidas pela sua incompetência falocrata de governar a sua trajetória normativa.
Inacreditável.
Detesto a sua falta de satisfação, detesto a sua incompetência pra perceber o obvio.
Detesto esse galinheiro sem dono.
Detesto quem não pode ser o que propõe, detesto essa arte de origami pretenciosa que reflete na sua obtusa presença.
Que merda! Tome uma decisão, seja homem, seja mulher, seja alguém que determina prosperidade! Olhe no espelho, o tempo não é seu amigo, os vegetais insignificantes que subornam o prazer da sua carne, esses lixos emocionais que vivem no quintal da sua obediência também não são seus amigos, querem apenas que você os fodam, olha de novo no espelho e espero que continue com medo, pois você merece essa escuridão, você é uma idiota construindo um mistério, um mistério cheio de você.
Tenha um prumo, tenha um rumo, tenha uma eternidade pra viver mais e melhor.

Tenha brio! Tenha brio.

**

a arte de dizer não.

Eu gosto de infâmia. Por isso sem meias verdades aqui. Tenha a bondade!